Biografia de Formadores do Serviço Educativo

 

Patrícia Azevedo

Licenciada em Artes Plásticas na variante pintura, possui Mestrado em Educação Artística, ambos pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Desde os 18 anos que o seu percurso profissional tem sido todo ele construído através de projetos ligados à animação sociocultural, educação artística e educação patrimonial. Teve a oportunidade de criar de raiz o Serviço Educativo do Museu Municipal de Sesimbra e de aprender tanta coisa sobre as artes de pesca e a arqueologia; de colaborar com o Museu Nacional de História Natural e da Ciência e de tratar os dinossauros por “tu”, assim como descobrir o mundo da botânica; de passar umas férias divertidas no Jardim Zoológico e aprender tanto sobre os animais; de trabalhar em projetos na área da Educação Patrimonial na Spira – revitalização patrimonial deixando-se encantar pela cultura e pelo património português. Por estas e por outras, a Patrícia adora trabalhar na área da educação não formal e de cativar miúdos e graúdos.

 
Carlos Carrilho

Estudou Arquitetura na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa; Estudou de Arte na Sociedade Nacional de Belas Artes (História de Arte; Desenho; Estética e Teorias de Arte Contemporânea), no AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual (Desenho; Estética) e na Fundação C. Gulbenkian (vários cursos teóricos relacionados com História, Teoria, Estética e Sociologia de Arte). Desde 1997 tem colaborado com diversas instituições na conceção e monitorização de atividades de carácter pedagógico no âmbito da História e Teoria de Arte, Arquitetura, Design, Arquitetura Paisagista e Jardins, nomeadamente, Centro de Arte Moderna, Serviço de Belas Artes, Serviço de Educação e Bolsas e Serviços Centrais da Fundação Calouste Gulbenkian, Museu Nacional de Arte Antiga, Centro de Exposições e Museu do Design do Centro Cultural de Belém, Fundação Berardo, Palácio Nacional da Ajuda, Instituto dos Museus e da Conservação, Ordem dos Arquitetos, Universidade Nova de Lisboa, Escola Superior de Teatro e Cinema e Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa. Estruturou e lecionou a disciplina de Teoria de Arte no NextArt – Centro de Experiências Artísticas, em 2002/2003. Autor e impulsionador do projeto LandArt que a NextArt desenvolveu a partir de 2002.

 

Hugo Barata

Pós-Graduado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e encontra-se a frequentar o Mestrado em Pintura na mesma instituição. Desde 2007 que, além da prática artística e da conceção e organização de exposições, desenvolve o trabalho de educador em Serviços Educativos (em regime freelancer), concebendo e orientando (individualmente e em equipa) diversas atividades pedagógicas dirigidas a diversos grupos etários e públicos diferenciados, na senda de criar e experienciar uma visão da educação através da arte moderna e contemporânea. A sua postura para com o público dos museus tem sido pautada por uma relação triangular que se estrutura a partir da relação do mediador com o público, do público com a obra de arte e, finalmente, na sedimentação da relação do público com a instituição, fidelizando-a e tornando-a parte integrante da rotina e da vida das pessoas.

 
 
Sílvia Moreira

É licenciada em Artes Plásticas na E.S.A.D. (Escola Superior de Arte e Design) de Caldas da Rainha, 2002. Frequentou o Programa Independente de Estudos na Maumaus – Escola de Artes Visuais, 2005/06. Frequentou o curso de Mestrado em Ciências da Comunicação, variante Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 2003. É Mestre em Ensino das Artes Visuais da Universidade de Lisboa, 2009/10. Profissionalmente, é professora / formadora das disciplinas de Expressão Plástica e História da Cultura e das Artes, na Escola Profissional de Artes, Tecnologias e Desporto (E.P.A.D), Lisboa e de Expressão Plástica nas licenciaturas de Educação de Infância e Educação Básica, Instituto Superior de Educação e Ciências, Lisboa, 2008/10. Desde 2006 concebe e orienta oficinas criativas de expressão plástica em diversas instituições – Museu Serralves, Centro de Arte Moderna José Azeredo Perdigão - F.C. Gulbenkian, Museu Berardo, Nextart – Centro de Formação Artística, Culturgest e Palácio da Ajuda.

 

Rita Jorge

Com um currículo multidisciplinar, desde as Artes Plásticas e Visuais ao Design, passando também pela Música e pela Dança, tem vindo a realizar, com diversas entidades, Workshops e Oficinas: Fotografia, Dança Criativa e Expressão Corporal. O que mais a caracteriza ao nível artístico, e no que diz respeito à abordagem pedagógica, é o prazer e a paixão em tudo o que faz, assim como a valorização de que na Vida, como na Arte, tudo está interligado. Como forma de abordar o mundo, tem vindo a articular as diversas áreas artísticas nos seus projetos e oficinas. Durante dezoito anos desenvolveu trabalho na área da Pedagogia: essencialmente na disciplina de Fotografia, no âmbito do Ensino Artístico Especializado. Numa abordagem do “aprender fazendo” e de trabalho “na e para a comunidade”, tendo feito parte de equipas pedagógicas que desenvolvem projetos artísticos inter e transdisciplinares - cruzando áreas como Escultura, Desenho, Fotografia, Vídeo, Multimédia, Pintura Decorativa e Design Gráfico.

 
Margarida Mata

Licenciada em Belas Artes- Escultura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa (2009) e Mestre em Museologia e Museografia (2012) pela mesma instituição com a dissertação Valorização do Património do Teatro o Bando. Ao Relento, uma instalação de Máquinas de Cena em degradação assumida. Possui também formação na área de Arte e Design têxtil. Em 2005 foi estagiária no Serviço Educativo do Museu Nacional de Arte Antiga. Tem desenvolvido trabalho como mediadora em serviço educativo em vários museus nomeadamente: Museu do Design e da Moda (2009-2011), Museu das Comunicações (2011-2012), Museu Nacional de Arte Contemporânea (2013) e Casa- Museu Dr. Anastácio Gonçalves (2013). Trabalha também como assistente de artista.